O Poder do Hábito, de Charles Duhigg

Olá, Pessoal. Hoje vamos falar sobre esse livro quase de cabeceira rsrs, chamado O Poder do Hábito, de Charles Duhigg.

E como sempre, eu atrasadinha, só o li agora!

Bem, como compartilhei nesse outro post aqui, minhas rotinas mudaram recentemente e eu vou ficando louquinha para dar conta de tudo. Mas ultimamente, não estou dando! Assim que chego do trabalho, por volta das 18h30, faço algumas coisas básicas de sobrevivência (banho, jantar), e pronto: cama, aí vou eu! Às vezes, até rola um singelo episódio de série, mas na maioria das vezes, o que rola mesmo é um sono profundo.

Sério! Tenho tanto sono, que me dá até vontade de chorar. Falta disposição, ânimo, vitamina, sei lá mais o quê. Juraram para mim que fazer uma atividade física poderá me dar mais disposição. Pois bem, há 2 semanas, visitei 2 academias, comprei roupa de ginástica, comprei tênis. Mas e a coragem, onde compro? Nem fui ainda na 1ª aula, para desgosto de minha mãe, sister, amigos apoiadores e meu também.

Então, foi assim, que busquei desesperadamente na leitura desse livro um Super Poder Mágico para mudar os maus hábitos (como o da procrastinação). Claro, não o encontrei! Mas aprendi um pouco sobre como o cérebro cria e lida com os hábitos, como é possível modificá-los, conheci histórias interessantes e, graças a Deus, encontrei algumas dicas bacanas e úteis (desde que eu as aplique).

“Transformar um hábito não é necessariamente fácil nem rápido. Nem sempre é simples. Mas é possível.”

A parte teórica e científica do assunto, de qual parte do cérebro estamos falando etc, nem me arriscarei a explicar aqui. Mas uma coisa interessante que compartilho é que as rotinas são importantes e necessárias para poupar energia do cérebro, para não termos que tomar uma decisão a todo instante. Por isso, escovar os dentes pela manhã e dirigir são ações que se tornam automáticas (imagina só se toda manhã você tivesse que se “lembrar” de escovar o dentes antes de sair de casa!).

O hábito passa por um processo de 3 etapas, conhecido como Loop do Hábito:

“Esse processo dentro dos nossos cérebros é um loop de três estágios. Primeiro há uma deixa, um estímulo que manda seu cérebro entrar em modo automático, e indica qual hábito ele deve usar. Depois há a rotina, que pode ser física, mental ou emocional. Finalmente, há uma recompensa, que ajuda seu cérebro a saber se vale a pena memorizar este loop específico para o futuro”.

Ok, e como mudar um hábito?! No livro, Duhigg aborda estudos e experiências, e a boa notícia: os hábitos podem ser ignorados, alterados ou substituídos. Para isso, é preciso reconhecê-los, e então, identificando qual é a deixa e a recompensa, a rotina pode ser substituída por outra (melhor, mais saudável). Aí está a Regra de Ouro:

“Para mudar um hábito, você precisa manter a velha deixa e oferecer a velha recompensa, mas inserir uma nova rotina. Eis a regra: se você usa a mesma deixa, e fornece a mesma recompensa, pode trocar a rotina e alterar o hábito. Quase todo comportamento pode ser transformado se a deixa e a recompensa continuarem as mesmas”.

Exemplo de uma mudança de hábito:

habito

O livro traz muita coisa bacana, mas aqui no post, só um pouquinho mesmo do que li. Vale a leitura do livro!

Por fim, como qualquer mudança na nossa vida, o compromisso e a disciplina se fazem necessários (será que tem algum livro O Poder da Disciplina?). E ao longo do caminho, sem dúvida, vamos lidando com os fracassos e, também, as vitórias. Um dia por vez. Só não vale desistir. E acredito que o mais importante eu já fiz: assumir que há mudanças que devo tentar.

Na esperança de mudar alguns hábitos,

Um beijo!

Alê

 

Sinopse

Durante os últimos dois anos, uma jovem transformou quase todos os aspectos de sua vida. opoderdohabitoParou de fumar, correu uma maratona e foi promovida. Em um laboratório, neurologistas descobriram que os padrões dentro do cérebro dela – ou seja, seus hábitos – foram modificados de maneira fundamental para que todas essas mudanças ocorressem. Há duas décadas pesquisando ao lado de psicólogos, sociólogos e publicitários, cientistas do cérebro começaram finalmente a entender como os hábitos funcionam – e, mais importante, como podem ser transformados. Embora isoladamente pareçam ter pouca importância, com o tempo, têm um enorme impacto na saúde, na produtividade, na estabilidade financeira e na felicidade.
Com base na leitura de centenas de artigos acadêmicos, entrevistas com mais de trezentos cientistas e executivos, além de pesquisas realizadas em dezenas de empresas, o repórter investigativo do New York Times Charles Duhigg elabora, em ‘O Poder do Hábito’, um argumento animador: a chave para se exercitar regularmente, perder peso, educar bem os filhos, se tornar uma pessoa mais produtiva, criar empresas revolucionárias e ter sucesso é entender como os hábitos funcionam. Transformá-los pode gerar bilhões e significar a diferença entre fracasso e sucesso, vida e morte.
Duhigg conclui por que algumas pessoas e empresas têm tanta dificuldade em mudar, enquanto outras o fazem da noite para o dia. Descobre, por exemplo, como hábitos corretos foram cruciais para o sucesso do nadador Michael Phelps, do diretor executivo da Starbucks, Howard Schultz, e do herói dos direitos civis, Martin Luther King, Jr.: “Eles tiveram êxito transformando hábitos. Todos começam com um padrão psicológico. Primeiro, há uma sugestão, ou gatilho, que diz ao seu cérebro para entrar em modo automático e desdobrar um comportamento. Depois, há a rotina, que é o comportamento em si. Para alterar um hábito, é preciso modificar os padrões que moldam cada aspecto de nossas vidas. Entendendo isso, você ganha a liberdade – e a responsabilidade – para começar a trabalhar e refazê-los”, diz o autor.
Um dos exemplos citados pelo autor diz respeito a ele próprio. Duhigg explica como conseguiu parar de consumir cookies no meio do dia de trabalho ao compreender o hábito que o levava diariamente a uma cafeteria para comê-los, mesmo sem fome – as visitas diárias ao lugar ocorriam por necessidade de socialização. “Refiz o hábito e, agora, pelas 15h30, levanto da minha mesa e procuro alguém para conversar por 10 minutos. E não como um cookie há seis meses”, conta ele. A prática é um dos segredos para a mudança: “Tarefas que parecem incrivelmente complexas no início, como aprender a tocar violão e falar uma língua estrangeira, podem se tornar muito mais fáceis depois de executadas inúmeras vezes. Maus hábitos, como fumar e beber demais, são superados quando aprendemos novas rotinas e a praticamos incessantemente.”
Há ainda, segundo Duhigg, os chamados “hábitos mestres”, capazes de desencadear uma série de reações no modo da pessoa organizar sua própria vida. Um bom exemplo de um hábito mestre é o exercício físico. “Quando as pessoas começam a se exercitar regularmente, começam a mudar outros comportamentos que não estão relacionados à atividade física. Passam a comer melhor e a levantar da cama mais cedo. Fumam menos e se tornam mais pacientes. (…) Não está completamente claro porque isso ocorre, mas está provado que exercício é um hábito mestre, que propaga mudanças em todos os aspectos da vida.

Ficha Técnica
O Poder do Hábito
Autor: Charles Duhigg
Editora: Objetiva
Pág: 408
Ano: 2012
ISBN: 9788539004119

Anúncios

Um pensamento sobre “O Poder do Hábito, de Charles Duhigg

  1. Pingback: Resumo da semana – 09/10/2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s