Arquivo | setembro 2016

Trabalha, Poeta – de Silvestre Kuhlmann

Olá, Pessoal. Hoje o tema um dos meus preferidos: Poesia. 🙂

“Trabalha, Poeta” de Silvestre Kuhlmann foi uma delícia de ler. Me fez lembrar porquê eu gosto tanto de poesia – seja ler a dos outros ou criá-las.

Nesse livro, foram reunidas mais de 150 poesias, passando por diferentes temas. Afinal, quem é poeta vê poesia em tudo! Mas o tema preferido de Silvestre, e que fez o livro tão especial, foi o amor dele pelo Autor de toda poesia! Em cada uma dessas, pude sorrir ao sentir tanto Amor e Beleza!

A Mais Bela Poesia

Esta é a mais bela poesia:
Ver o Rei numa estrebaria.
Esta é a mais bela poesia:
O Deus onipotente
Dependente do colo de Maria;
Esta é a mais bela poesia!

Aquele que forjou o universo
Trabalhou numa carpintaria;
Aquele que cavalga nas asas do vento
Fez do jumentinho sua montaria.

Esta é a mais bela poesia:
Ver Jesus em nosso dia-a-dia
E no meio dessa correria
Fazer com ele parceria, melodia
E ver, no simples, a mais bela poesia.

Belo, não?! E vou compartilhar mais uma, a qual eu gostaria de ter escrito, pois para o meu coração já o disse algumas vezes!

Coração sem Medo

Vem, meu coração, aprenda:
Se chegar o amor, se renda;
Mesmo que lhe cause uma fenda,
Uma ferida profunda,
Uma dor que não finda,
Um furo que não se emenda.

Vai, meu coração, se entregue.
Com olhos cheios d’água, regue;
Mesmo que o sol te cegue,
E que o outro só negue,
E o bem com mal se pague,
E teu vigor se apague.

Vai, meu coração, propague
O amor por toda estrada e senda;
Deve apaziguar a contenda
E habitar em sua tenda,
O amor não pode estar à venda.
Nem se trocar por fazenda.

O amor é todo Graça.
O amor envolve, abraça.
E não há medo ou ameaça
Que o vença ou o desfaça.
E assim, se dando, se enlaça
Àquele que ama e não passa.

Espero que tenham gostado desse pouquinho que compartilhei aqui.

Bjs,
Alê

P.S.: Silvestre é também cantor, arranjador e compositor.

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Apenas um Trecho #8

“Para a vida enegrecida pelo fracasso, aquela sexta-feira representa perdão.
Para o coração marcado pela inutilidade, representa objetivo na vida.
Para a alma a olhar do lado de cá do túnel da morte, representa libertação, triunfo.

Seis horas de uma sexta-feira.
O que você está fazendo com aquelas seis horas daquela sexta-feira?.”

Seis Horas de uma sexta-feira
Max Lucado

Alguns dos livros que deixarei

Ok, de início já vou avisando que esse post será sentimental (ou mórbido).

Acontece que é algo que estou para fazer há algum tempo (mais exatamente, 3 anos), mas como é um assunto meio dramático, fui adiando. Trata-se do meu “testamento”. Sim, isso mesmo. Mas vamos começar contando como surgiu essa necessidade ideia.

Há 3 anos morria um amigo de 27 anos. Estávamos juntos num sábado, e na terça seguinte, ele já não estava mais. Sim, a morte atinge os jovens, aqueles que consideramos cheios de vida, com um futuro inteiro pela frente. A morte atinge as pessoas do bem. E naquela manhã de 10 de setembro de 2013 atingiu o Rogério, nos deixando sem palavras e com muita saudade.

Pois bem, foi nessa época que me obriguei a pensar em algumas coisas e decidi que faria um testamento. Eu ainda não tenho grandes posses. Mas tenho algo muito valioso: meus livros.

E o meu testamento se trata disso mesmo: a alguns amigos, além da saudade, vou deixar livros. Prefiro acreditar que eles não precisam de nada material para se lembrarem de mim, mas vai ser como um último presente, algo especial.

Você pode estar pensando: mas por que não dar os livros em vida? Por dois motivos: 1) Eu gosto de ter meus livros. Procuro não ser consumista, mas os livros são o meu luxo e tenho muito prazer em vê-los na estante. 2) Porque eu acho que eles terão muito mais valor se forem recebidos como um último presente meu. Será?

Sobre a lista, é necessário dizer que ela não inclui todas as pessoas importantes da minha vida (pois haja livros!). Também não significa que estejam nessa lista apenas as pessoas que “mais” amo.

Nada disso! A escolha do livro e da pessoa que vai recebê-lo é mais uma questão de história. Os livros foram escolhidos por me trazer uma lembrança, uma história entre eu + livro + amigo.

Vamos lá:

  • Minha primeira Bíblia – para a sister Alaisa. É o livro mais especial que possuo, que acompanhou meus primeiros passos na fé, um presente da minha mãezinha. Então, nem preciso explicar muito o motivo de deixá-lo para a Alaisa.
  • Minha Bíblia atual – para a amiga Danny. A Palavra de Deus sempre será conforto e direção para mim, e foi ela que de uma forma muito especial uniu minha vida à da Danny. O amor de Deus transbordou em nossas vidas, em nossa amizade.
  • Um Amor para Recordar, de Nicholas Sparks: para a amiga Ariana. Nos encantamos juntas por essa história e assistimos ao filme na companhia da outra muitas vezes.
  • A História do Rei Transparente, de Rosa Montero: para a vizinha Loura. Foi ela quem me acompanhou até a Biblioteca muitas vezes, quando eu era menina. E como eu adorei essa história, que tem temas que muitas vezes foram nossos temas, escolha feita.
  • Presentes da Vida, de Emily Giffin: para a amiga Andréia Vitoriano. É um dos meus livros preferidos e foi ela quem me apresentou a esse livro.
  • Cidade de Papel, de John Green: para a amiga Vê. Já dei muitos livros para a Vê, mas esse foi o primeiro que ela leu até o fim. O que me deu esperança de continuar lhe dando livros de presente rsrs
  • O Evangelho Maltrapilho, de Brennan Manning: para o irmão Alan. Compartilhamos juntos a admiração por esse autor e geralmente tentamos causar inveja no outro: “ei, acabei de comprar tal livro do Brennan” ou “você já leu tal livro do Brennan? Eu sim”.
  • Provai e Vede, de John Piper: para o irmão Alessandro. Esse é um autor por quem compartilhamos a preferência e muitas vezes conversamos sobre os pensamentos dele, admirados.
  • As Crônicas de Nárnia, de C.S Lewis: para o sobrinho Gabriel. É um livro mágico, e não poderia pensar num livro mais especial para ele.
  • Eu me Chamo Antônio, de Pedro Gabriel: para o sobrinho Nich. Quando ele tinha dois aninhos, nos disse: quando eu crescer quero ser Poeta. Então, um livro cheio de poesia para ele.
  • O Diário de Anne Frank, para a sobrinha Ana Julia. Ela ainda nem sabe ler, mas espero que eu seja uma boa influência para ela nesse caminho mágico.  E a escolha do livro é porque esse foi um dos primeiros que li quando adolescente, e ele marcou minha história como leitora.
  • Razão e Sensibilidade, de Jane Austen: para a cunhada Carol. Esse livro eu trouxe da minha viagem a Londres, e comprei num lugar muito especial: na livraria que remete ao filme “Um Lugar Chamado Nothing Hill”. A Carol, assim como eu, ama esse filme.
  • Amor Acima de Tudo, de Max Lucado: para a cunhada Ká. Esse é um livro lindo, que adoro. A Ká não tem muito costume de pegar livro emprestado, mas esse eu fiz questão que ela lesse. E deu certo. Ela me devolveu dizendo o quanto também tinha falado com ela.
  • Crepúsculo, de Stephanie Myer: para a amiga Rubia. Foi ela quem me apresentou ao Edward há 10 anos atrás, e serei eternamente grata a isso! kkk
  • Viva a Vida Mais Leve, de Leila Ferreira: para a amiga-mentora Vivi. Ela me deu esse livro numa ocasião muito especial, com uma mensagem que eu sempre preciso lembrar.
  • OLAM, de L.L. Wurlitzer: para os amigos rockvalianos Ana e Rapha. Eles me deram de presente esse livro e eu super curti. Fica a mensagem: amizades feitas em uma fila qualquer valem pela vida toda!
  • Convite à Loucura, de Brennan Manning: para o ex-chefe Marcelo Benassi. Ele me emprestou esse livro, e eu o adorei. Tanto que pedi para que me desse de presente, o que ele prontamente fez. Então, será tipo uma “devolutiva”.
  • Um Dia, de David Nicholls: para a amiga Aline Zamboti. Lemos na mesma época e compartilhamos muitas mensagens do tipo “eu não acredito que isso aconteceu”, “eu acho que o amante é fulano”, “caramba, que cara chato” etc.
  • O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry: para a amiga Cinthia. Ela é apaixonada pelo PP e claro que ela já possui esse livro. Mas o meu é na versão em espanhol, uma lembrança que trouxe de Buenos Aires.
  • Vida Cristã Fora da Caixa, de Marcos Botelho: para a amiga Carolzinha. A história é assim: eu ganhei esse livro autografado e a sister o perdeu. E não me contou! Então, depois de mais de um ano, a sister comprou um novo livro e com todo o apoio da Carol foram atrás do Marcos para ele autografar. E não é que conseguiram?

Acho que é isso!

Termino esse simbólico “testamento” com dois desejos:

  1. Que essa lista demore bastante para ser usada (se assim foi da vontade do Autor da vida)
  2. Que outras pessoas especiais sejam incluídas (isso significará que ainda posso construir novas amizades e tal)

E caso tenha alguém que se sentiu injustiçado ou esquecido, há tempo para contestações. Fiquem à vontade hehehe

Bjs,
Alê.