O Silêncio das Montanhas

Hi, people! Hoje vou falar sobre O Silêncio das Montanhas, de Khaled Hosseini, o autor aclamado dos livros “O caçador de pipas” e “Cidade do Sol”. 

Li O Silêncio das Montanhas, de Khaled Hosseini, recentemente. E que bom que foi assim. Ano passado, durante um intercâmbio, fiz amigos árabes, e o contato com a cultura me acrescentou tanto, que ao ler o livro, sei que pude aproveitá-lo ainda mais.

A história inicia-se em Cabul, Afeganistão, apresentando-nos os irmãos, ainda crianças, Abdullah e Pari. Eles são apegados como todos irmãos deveriam ser: brincam juntos, se defendem, brigam, cuidam um do outro.

São criados com muita dificuldade pelo pai, um homem simples, amoroso, que apenas deseja cuidar bem de sua família. E pensando justamente no bem de sua família, Saboor toma uma difícil e incompreensível decisão: entrega a pequena Pari à rica e glamourosa  Nila Wahdatir, uma poeta que tem grandes sofrimentos escondidos na alma, e que não se enquadra no meio em que vive.

É  de cortar o coração ver os irmãos, que sempre foram tudo um para o outro, sendo separados de forma tão cruel.

“A mão de Pari, dentro da carrocinha, logo pegou a de Abdullah. Ficou olhando para ele, com os olhos lacrimejando, sorrindo com seus dentes separados como se nada de ruim pudesse acontecer com ela se o irmão estivesse ao seu lado. Abdullah enlaçou os dedos da mão dela, como fazia todas as noites quando dormia com a irmã na mesma cama, as cabeças se tocando, as pernas entrelaçadas”.

Um caminho sem volta, trazendo impactos na vida de todos, de forma irreversível.

“Às vezes, em momentos de fraqueza, Abdullah flagrava o rosto do pai se anuviando, mesclando tonalidades confusas de emoção. O pai parecia menor para ele agora, como se tivesse perdido alguma coisa essencial”.

A partir daí, acompanhamos a história dos irmãos ao longo de 60 anos. Vemos eles crescendo, construindo suas próprias famílias, mas com um buraco enorme no coração que não esquecem. E suas vidas são direcionadas à busca de se reencontrarem.

Muitos personagens vão surgindo na história, em cidades e países diferentes, ajudando a construir o enredo. E cada um, com sua personalidade, dramas, dores e sonhos, torna a história ainda mais bonita. O ruim é que nesse entra e sai de personagens, quando você está se afeiçoando a um, querendo mais, ele cumpre seu papel e se vai.

E não é assim na vida? As pessoas aparecem para cumprir um pedaço na nossa história, e depois partem. Mas o tempo em que estiveram conosco – não importa se por algumas horas, por alguns dias ou por muitos anos – foi o que nos fez ser quem somos hoje, chegar aonde chegamos. Elas contribuíram em nossa missão, mas muitas vezes sequer percebemos.

Tantas histórias juntas, tecidas pelo talentoso, detalhista e sensível Khaled não poderiam dar um resultado diferente: O Silêncio das Montanhas é um livro emocionante, que traz beleza e também indignação contra as injustiças, o preconceito, o egoísmo, o abuso do mais forte sobre o mais fraco.

“Dizem que a gente deve encontrar um propósito na vida e viver este propósito. Mas, às vezes, só depois de termos vivido reconhecemos que a vida teve um propósito, e talvez um que nunca se teve em mente.”

 

Sinopse
Dez anos depois do aclamado “O caçador de pipas”, O-silencio-das-montanhaso escritor afegão Khaled Hosseini volta à cena literária com “O silêncio das montanhas”. O romance traz como protagonistas os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O caçador de pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título “fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especialmente os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de “O silêncio das montanhas” tanto quanto eu os amo”. Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo – de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia –, a história se expande, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar.

Ficha Técnica
O Silêncio das Montanhas
Autor: Khaled Hosseini
Editora: Globo Editora
Pág: 352
Ano: 2013
ISBN: 9788525054081

>>> Sobre os muitos personagens que passam por essa história, gostei da apresentação feita por Rê Sanches, divulgada aqui, e por isso, tomei a liberdade de aproveitá-la:

Tio Nabi: motorista que, sem perceber, conquista o coração de seu patrão, em uma época e um país onde a homossexualidade é algo que se leva para o túmulo, em cruel silêncio.

Nila Wahdati: encurralada pela sua condição multirracial e multicultural, filha de um afegão com uma francesa, que deságua na bipolaridade, com consequências irreversíveis.

Idris e Timur: primos que como tantos outros na década de 80, fogem de Cabul e sua guerra sem fim, para os Estados Unidos.

Adel: um garoto que está prestes a descobrir que o pai é um líder terrorista que mantém, a sangue e a bala, o equilíbrio da antiga aldeia.

Makhos: um médico grego de uma ONG humanitária, responsável, nos anos 2000, pelo desfecho de tudo.

Parwana e Masooma: irmãs nascidas e criadas na miséria de vida para a qual as meninas desde sempre estiveram destinadas, e que são  o gatilho para a trama,  que dura 60 anos. <<<

—————————————————–

IMG_20160131_131329Alessandra Correa,  chegando aos 30, é apaixonada por sobrinhos, livros, Londres, música, séries e chocolate. Sempre com um livro em mãos, adora falar sobre aqueles que marcaram sua vida. E tem como paixão e dom transformar palavras em histórias e poesias, algumas divulgadas aqui: www.momentoempalavra.blogspot.com
Anúncios

Um pensamento sobre “O Silêncio das Montanhas

  1. Pingback: Apenas um Trecho #5 | Os Livros que Vivi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s