Cartas de Amor do Profeta

Hi, people. Para estrear a categoria Poesia, meu poeta preferido: Khalil Gibran.
Tudo o que eu li dele é apaixonante!

Gibran Kahlil Gibran, conhecido como Khalil Gibran, é um poeta libanês que me foi apresentado pelo meu irmão Alan Correa, quando eu tinha uns 14 anos.

Khalil Gibran viveu a maior parte de sua curta vida nos Estados Unidos, mas nunca deixou para trás sua origem árabe.  Ele foi pintor, filósofo, ensaísta, escritor, apaixonado. Suas palavras são cheias de sensibilidade, significado, emoção, beleza. Em seus livros, desfrutamos de sua visão quanto ao amor, à amizade, à natureza, ao divino, à humanidade.

O primeiro livro que eu li, e que nas primeiras linhas me cativou, foi Cartas de Amor do Profeta, traduzido e adaptado por Paulo Coelho.

O livro reúne parte das cartas trocadas por mais de 20 anos entre Khalil Gibran e Mary Haslell, a quem conheceu numa exposição de seus quadros, em 1904.

“Eu fui tocado pela sua presença desde a primeira vez que a vi; foi numa exposição de meus desenhos, no estúdio do Sr. Day. Você estava usando algo de prata em torno do pescoço, e aproximou-se de mim, perguntando: “será que eu posso exibir alguns destes quadros na escola onde leciono?”

O conteúdo das cartas envolve desabafos, anseios, pensamentos sobre a vida e a morte.

“A vida é generosa, e o homem é mesquinho. Parece que existe um abismo entre a vida e o ser humano e, — para atravessar este abismo — é preciso ter coragem de tocar a própria alma, e mudá- la de direção. Será que vale a pena?”

“É belo poder falar com os outros sobre Deus. Não podemos entender inteiramente a natureza de Deus porque não somos Ele, mas podemos ao menos preparar nossa consciência para crescer, usando Suas manifestações visíveis”.

E as cartas trazem, principalmente, declarações de amor e afeto. Trechos que pretendo usar um dia (esperança!).

“Quando a mão da Vida é pesada, e não se escutam canções durante a noite, a única coisa que nos alivia é acreditar e confiar no amor. Então, mesmo nas piores circunstâncias, tudo se torna mais leve, e algumas melodias surgem na escuridão — porque estamos amando e confiando neste amor”.

“Minha vida é apenas um conjunto de notas musicais que o seu coração transforma em melodia. Que sejamos sempre capazes de viver tudo o que há de sagrado em cada instante”.

Percebo em suas linhas que ele se sentia a vontade para escrever sobre o que pensava e sentia. Ele teve sorte de encontrar alguém para quem pudesse abrir a mente e coração. E Mary teve muita sorte em ser esse coração aberto. Quem não gostaria de receber cartas tão cheias de beleza e verdade? Pois ao longo de tantos anos, fica claro que não se tratam apenas de palavras. São palavras que refletem o que ele realmente sentia.

É bom ter esse alguém que pode nos ouvir, não importa o que tenhamos a falar. Alguém para que possamos contar angustias, esperanças, sonhos, medos. Mary era essa pessoa para Gibran.

“Há uma antiga canção árabe que começa assim: “Só Deus e eu mesmo podemos saber o que se passa em meu coração”. Hoje, depois de ler tudo que você tem me escrito, eu poderia acrescentar: “Só Deus, eu e Mary podemos saber o que se passa no meu coração.”

Cartas de Amor do Profeta é lindo. E ao ler, vai querer desfrutar de todos os outros livros da Gibran (como eu busquei fazer). E em todos, vai suspirar e sorrir diante de tanta beleza.

“O amor é aquilo que mais desejamos ter, e mais desejamos dar. E ninguém nota que ele está a toda hora sendo oferecido e recusado”.

Mais:

>>>Além de ser amiga, paixão e inspiração, Mary desempenhou um outro papel muito importante para a obra de Gibran, revisando muitos de seus trabalhos<<<

>>>Mais sobre a biografia de Gibran aqui, no site Para Ler e Pensar<<<.

>>>A vontade foi colocar muitos trechos do livro aqui. Mas assim não dá, certo? Pois bem. Leia o livro! É possível fazer o download gratuito do livro aqui, no site do Paulo Coelho, que disponibilizou a obra em comemoração aos 130 anos de nascimento de Gibran<<<.

 

—————————————————–

IMG_20160131_131329Alessandra Correa,  chegando aos 30, é apaixonada por sobrinhos, livros, Londres, música, séries e chocolate. Sempre com um livro em mãos, adora falar sobre aqueles que marcaram sua vida. E tem como paixão e dom transformar palavras em histórias e poesias, algumas divulgadas aqui: www.momentoempalavra.blogspot.com
Anúncios

7 pensamentos sobre “Cartas de Amor do Profeta

  1. Pingback: [TOP 5] Os cenários mais lindos | Os Livros que Vivi

  2. Pingback: Asas Partidas, de Kahlil Gibran | Os Livros que Vivi

  3. Pingback: Apenas um Trecho #7 | Os Livros que Vivi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s