Seis Horas de uma sexta-feira

Hi, people! O post de hoje é sobre aquele livro considerado de “cabeceira”. Já o li diversas vezes, e não satisfeita, já distribui alguns exemplares por aí, como presente para os amigos. Espero que gostem.

Seis horas de uma sexta-feira, de Max Lucado, é um livro especial para mim. Sua mensagem fica encravada, assim como aqueles cravos um dia ficaram nas mãos de Cristo.

Ele narra sobre as seis horas que envolveram o sacrifício de Cristo, e como esse evento influenciou a vida de testemunhas ali, e de nós, aqui, mais de 2 mil anos depois.

“Para a vida enegrecida pelo fracasso, aquela sexta-feira representa perdão.
Para o coração marcado pela inutilidade, representa objetivo na vida.
Para a alma a olhar do lado de cá do túnel da morte, representa libertação, triunfo.
Seis horas de uma sexta-feira.
O que você está fazendo com aquelas seis horas daquela sexta-feira?”.

Essas seis horas cumpriram seu propósito, e nos traz 3 poderosas lições. Max as chama de pontos de ancoragem. Não importa quão feroz seja a tempestade, quão grande seja a frustração, quão terrível seja a dor, quão assustadoras as notícias, se estivermos ancorados nessas três verdades, não precisamos temer, não há porque desistir.

Os 3 pontos de ancoragem são:

  1. Minha vida não é inútil
  2. Meus fracassos não são fatais
  3. A morte não é o fim.

Vou falar um pouquinho sobre cada ponto, mas só um pouquinho mesmo… pois espero que tenham oportunidade de ler esse livro inteirinho. 😉

Minha vida não é inútil: há uma razão para tudo. Não fomos lançados ao caos, por um mero acaso. Nós nascemos por uma razão. Estamos respirando nesse momento, enquanto eu escrevo e você lê, por uma razão. Nossa vida tem um propósito. Descubra-o! E quando descobrir, aceite o desafio de viver esse propósito.

“Há alguém no controle”.

Meus fracassos não são fatais: nós somos amados, apesar das besteiras que fazemos, daquilo que perdemos, dos erros que cometemos. Deus, em Sua santidade e justiça, não aceita e nem ama os nossos erros. Mas Ele nos ama, e nada poderá mudar isso. Confie nesse amor!

“Aquele que tem o direito de condená-lo forneceu a forma de livrá-lo”.

A morte não é o fim: esse é o capítulo final de todas as histórias. A morte é cruel. Chega para todos e raramente avisa. Ela priva-nos da companhia de quem amamos. Ela abre buracos no peito. Mas existe um Epílogo: a morte não tem a palavra final. Cristo venceu a morte e podemos nos alegrar com essa verdade. Temos esperança. Creia nisso!

“Amarre-se a a essa rocha e o furacão da tumba se transformará na brisa primaveril da Páscoa”.

Aquela sexta-feira mudou minha vida  (e eternidade). E o livro Seis horas de uma sexta-feira me marcou por isso, por me trazer mais algumas preciosas lições sobre aquele dia. Lições que quando permito adentrarem no meu coração, me tranquilizam e me dão forças para as batalhas de cada dia.

“Ancore fundo, ore e segure-se firme. E não se surpreenda se alguém caminhar por cima das águas para lhe estender a mão”

Sinopse
O que mais aquela sexta-feira pode representar? Os-livros-que-vivi-seis-horas-de-uma-sexta-feira

Para a vida enegrecida pelo pecado, aquela sexta-feira representa perdão. Para o coração fatigado pela aparente inutilidade, representa novo propósito de vida. Para a alma a olhar do lado de cá pelo túnel da morte, representa libertação e triunfo.
E aquelas seis horas?
Pra muitos observadores, aquelas seis horas foram apenas um momento a mais na ampulheta do tempo. Para um grupo de testemunhas, porém, aquelas seis horas marcaram a constatação do mais grandioso de todos os milagres. A morte foi vencida. Para sempre!
Com inspiração e singeleza, Max Lucado mostra que Deus conquistou para nós na cruz três pontos de ancoragem fortes o bastante para resistir a qualquer tormenta que possa aparecer no decorrer da vida.
Seis horas de uma sexta-feira é uma jornada sublime aos pés da cruz, lugar no qual derrota aparente é transformada em vitória. Ali as lágrimas têm prazo de validade e darão lugar à celebração da alegria. Abra seu coração e encontre descanso e esperança na presença do Senhor.

Ficha Técnica
Seis horas de uma sexta-feira
Autor: Max Lucado
Ano: 2004
Editora: Vida
Pág: 175
ISBN: 853830005

—————————————————–

IMG_20160131_131329Alessandra Correa,  chegando aos 30, é apaixonada por sobrinhos, livros, Londres, música, séries e chocolate. Sempre com um livro em mãos, adora falar sobre aqueles que marcaram sua vida. E tem como paixão e dom transformar palavras em histórias e poesias, algumas divulgadas aqui: www.momentoempalavra.blogspot.com
Anúncios

2 pensamentos sobre “Seis Horas de uma sexta-feira

  1. Pingback: Apenas um Trecho #8 | Os Livros que Vivi

  2. Pingback: Tag: Ler é um Presente | Os Livros que Vivi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s